quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Odeia sucos verdes? Confira 3 receitas que vão te "converter"

Faça as pazes com os sucos verdes: experimente essas receitas
Quando eu era criança, eu dizia pra minha mãe que ela era uma "hippie", pelo menos quando o assunto era alimentação. Ela gostava de alimentos orgânicos, ervas chinesas, óleo de coco, pasta de dente feita com óleo natural de malaleuca e, enfim, uma vida voltada para as coisas "naturais". Nós íamos num sacolão chamado de "Cuidando da Saúde". Vitaminas, chá de ervas e bebidas com ginseng eram um ritual diário. 

Enquanto meus amigos tinham jantares em família com espaguete, carne vermelha, batata frita e pele de frango, minha mãe estava lá me servindo receitas como bolinhos de grão-de-bico, servidos com salsa e cebolinha. Sem contar com o aspargo e outros pratos árabes, como homus. Não me entendam mal: ela até cozinhava carne para mim, mas tuna, tofu, arroz integral e vegetais pra lá de estranhos eram a nossa rotina.


E mesmo que essa rotina fosse, naquela época, uma encheção-de-você-sabe-o-que, pensando bem, eu sinto gratidão pelo modo como minha mãe se preocupava com a saúde. Para ser honesta, eu simplesmente desconsiderei tudo que ela me ensinou até abril de 2009, quando eu me tornei vegetariana. Minha transição foi bem fácil, levando em conta o "treinamento" que eu tive na infância. 

Mas eu não escolhi o lado mais saudável do vegetarianismo. "É, eu era vegetariana, mas do tipo que comia junk food e alimentos industrializados. Em 2010, eu "herdei" a centrífuga de sucos da minha mãe (estava excelente, considerando que era super antiga). Eu tentei, então, incluir os sucos na minha dieta, já adulta.

E meus amigos amam me dar conselhos do tipo "vida verde". Eu amo meus amigos, mas eu não posso nem ouvir as recomendações deles sobre o que comer. Uma vez, uma amiga me disse para comprar repolho roxo, beterraba, pepino, cenouras, aipo, maçãs, limões, alface, couve-de-folhas e tomates e passar tudo na centrífuga de uma só vez.

Agradeço a ajuda, mas aquilo foi a recomendação MAIS BURRA do mundo para alguém que só comia maçã, de fruta; e, ao comer vegetais, só tolerava milho. Era como se eu estivesse bebendo lixo num copo de vidro. Eu juro que assim que dei o primeiro gole, tive um ataque de risos que me fez sentar no chão da cozinha. Não é nem necessário dizer que eu limpei a centrífuga e decidi que ela ficaria, ali, de enfeite, no canto do armário. Pra sempre.

Mas não. Em 2012, eu decidi dar uma segunda chance aos sucos quando eu assisti a um documentário "Fat, Sick and Nearly Dead" (Gordo, Doente e Quase Morto). Como eu estava estudando coaching holístico, pensei que não seria uma má ideia criar receitas que fossem de fato saborosas para alguém com baixa tolerância à plantas, ou alguém que estava começando agora com os sucos verdes e detox.

Fui eu que virei uma "hippie" na alimentação, segundo minha própria parceira. Hoje, só tem um ou dois vegetais que eu não gosto. Conseguiria beber um smoothie verde de couve de uma só vez. Desde que seja saudável, dá para suportar. Meu suco verde típico é bem "folhoso". Mas, relaxem, eu lembro bem dos dias em que eu sofria com os sucos verdes. 

Então, para ajudar quem está começando agora, aqui vão três receitas de sucos verdes realmente saborosos, que não vão te levar ao chão da cozinha em gargalhadas.

Nota: tente usar produtos orgânicos quando for possível. Se não for, é só limpar com bastante cuidado. Remova a casca. Assim que terminar de preparar, é só servir com gelo e aproveitar!


Suco verde feliz
1 pepino
2 talos de aipo
2 pêras
1/3 de melão (de prefêrencia, do tipo cantaloupe, que é mais adocicado)
6 a 8 folhas de couve-de-folhas
1 pedaço pequeno de gengibre

Suco verde de maçã com cenoura
4 cenouras
1 pepino
1-2 xícaras de chá de espinafre
1 limão
1 maçã gala
1 pera

Limonada Verde
3 xícaras de chá de espinafre
1 limão
1 pepino
1 pêra
1 maçã gala

Quando você se acostumar com o gosto, eu recomendo que você passa a usar a regra de 80/20 na hora de fazer sucos verdes: 80% vegetais e 20% frutas.

Por Torrie Pattillo (do torriepattillo.com), para o mindbodygreen.com

Traduzido e adaptado por Matheus Pereira

Nenhum comentário:

Postar um comentário